Como funciona o sistema Sigepe?

Lançado desde 2014, o Sigepe (Sistema de Gestão de Pessoas do Governo Federal) é o sistema utilizado para gerenciar e organizar todas as informações relacionadas aos servidores e gestores de todos os órgãos públicos ligados ao Governo Federal. Quer conhecer mais sobre o sistema do Sigepe e como ele funciona? Então veja logo aqui abaixo.

Como funciona o Sigepe? O Sigepe surgiu para substituir o antigo Siape (Sistema de Administração de Pessoal) e foi desenvolvido pela Dataprev, empresa de tecnologia ligada ao Ministério da Previdência Social, e também pela Serpro, o Serviço Federal de Processamento de Dados. A plataforma é toda utilizada no meio virtual e cada usuário recebe login e senha para realizar os acessos. Lá estão inseridos tanto os servidores ativos como também os aposentados e os pensionistas.

O funcionamento é simples e intuitivo, bem prático e acessível para todos os usuários. O sistema possui também um aplicativo mobile que facilita o acesso aos serviços de qualquer lugar.

Quem tem acesso ao sistema Sigepe? Todos os servidores públicos que atuam em órgãos do Governo Federal estão cadastrados na plataforma do Sigepe. Mais de 1 milhão de usuários estão aptos a usar a plataforma.

A Valorização do Servidor público

Alex SAMPAIO SAPIÊNCIA

O SIGEPE (Sistema de Gestão de Pessoas) é a mais nova ferramenta para a administração e gestão de recursos humanos do Governo Federal. Essa nova ferramenta busca agilizar, e maximizar eficiência desses serviços tão fundamentais a todos os servidores. Processos como férias, movimentações, gratificações e áreas afins são o foco do trabalho desse sistema que atua desde 2013, e já subsidia mais de um milhão de pessoas e atende a mais de 100 órgãos ligados a essas áreas.

Além das funcionalidades já mencionadas, o sistema ajuda a prevenção de fraudes. Nos últimos anos, essa ferramenta ajudou eliminar fraudes em operações consignadas, mostrando assim a eficiência de seu novo programa. Pode-se afirmar que todos os servidores federais estão inclusos em seu sistema, bem como as instituições das mais variadas como a Caixa Econômica Federal, Banco Central, Ministério Publico e instituições de ensino ligados a federação, como a UFRJ, UFF, UFRRJ, dentre outras.

Embora todo o sistema não esteja cem por cento funcional, boa parte dos serviços oferecidos já estão disponíveis ao servidor. Processos como Sigepe Mobile, Consignação, Ação Judicial, Gestão de Documentos, e Pensão Alimentícia, já estão concluídos. Outros como Desempenho ainda estão em processos de homologação, ainda outros como Gestão de Vínculo estão em desenvolvimento.

Conheça o projeto Sigepe

Fabrício de Oliv. Lopes

Uma nova interface: Inaugurado pelo Governo Federal, o Sigepe é um sistema de gestão de pessoas que tem como principal objetivo possibilitar a padronização dos processos administrativos, utilizando como principal ferramenta a plataforma virtual. Sua estrutura consiste em em subsistemas, que são organizados de forma a facilitar o acesso a informações que até pouco tempo atrás estavam disponíveis em plataformas de acesso menos simplificadas, caso do Siape e sistemas correlatos (Siapecad, Siapenet e Extrator).

Público-alvo e principais funções: O principal público-alvo do Sigepe são os órgãos que fazem parte do Siped (Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal). Dentre as suas várias funções estará informar ao usuário dados relativos à administração de pessoas no âmbito da criação de cargos e empregos, processos seletivos, ingressos de servidores, benefícios, aposentadoria e outras informações necessárias tanto ao setor responsável pela gestão de pessoas, como aos próprios servidores que eventualmente possam pesquisar dados ou solicitar serviços incluídos na plataforma.

A elaboração do projeto Sigepe obedeceu a normas rigorosas de estruturação, que levaram em conta a elaboração de uma estrutura que pudesse disponibilizar aos órgãos e pessoas interessados uma interface que estivesse em conformidade com critérios de acessibilidade, disponibilidade e otimização de tempo. Considerando estes marcadores por ordem de relevância, o Ministério do Planejamento realizou uma pesquisa com 74 órgãos do Sipec, coletando informações para construção da plataforma. Dentre os principais pontos consultados, o controle de frequência, gestão de desenvolvimento, promoção, progressão e estágio probatório lideram o ranking de relevância da consulta, colocando em visibilidade as principais urgências a serem priorizadas na arquitetura do projeto.

Programa Seguro-Desemprego – Um serviço ao trabalhador

André Pereira David

O Fundo de Amparo ao Trabalhador que está em vigor desde 1990, vinculado ao Ministério do trabalho, presta o serviço de custeio de programas governamentais, como Programa do Seguro-Desemprego, Abono Salarial e também financia outros programas referentes ao desenvolvimento econômico do país.

Conta com a contribuição do PIS – Programas de Integração Social, como sua principal fonte de recursos. De acordo com o art. 239, toda e qualquer arrecadação advinda dos contribuintes do PIS e PASEP, são automaticamente direcionados ao custeio desses programas, e somente quarenta por cento serão utilizados para financiar os programas de desenvolvimento econômico e fica a cargo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES.

Além deste fundo, existe o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador, o CODEFAT. Um órgão que é composto por representantes da classe trabalhadora, dos empregadores e do governo. Seu objetivo criar diretrizes para os programas, visando a alocação de recursos e também fazer o acompanhamento do impacto social, além de criar propostas de aperfeiçoamento da legislação referente as políticas. Também controla a fiscalização da administração do FAT.